Determinação do perfil genômico

A determinação do perfil genômico pode identificar alterações acionáveis

Atualmente, sabemos que o câncer é uma doença do genoma.1Estudos indicam que 30% a 49% dos pacientes que realizam a determinação do perfil genômico tumoral podem apresentar uma alteração acionável, o que significa que os pacientes podem estar aptos a utilizar uma terapia em estudo ou aprovada.2,3

30% a 49% dos pacientes que realizam a determinação do perfil genômico podem ter alterações acionáveis

  • Em dois estudos de determinação de perfil genômico em tumores sólidos pediátricos, entre 31% e 39% dos pacientes apresentavam tumores com alterações acionáveis4,5
  • Em um estudo clínico prospectivo de 843 pacientes com câncer avançado, identificou-se por análise genômica em grande escala que 49% do pacientes apresentavam uma alteração acionável3
  • No MD Anderson, em uma análise de diversos tipos de tumores de 500 pacientes com câncer avançado para os quais foi determinado o perfil genômico, 30% apresentaram alterações acionáveis2
> Ver referências